Apostolado da Oração

Através da sua participação no Apostolado da Oração (AO) da Paróquia São João Batista do Brás, 35 pessoas manifestam sua devoção ao Sagrado Coração de Jesus e dedicam parte dos seus dias à oração pelos mais necessitados e pelas vocações religiosas e sacerdotais. Durante a Celebração Eucarística, o fiel adepto do AO recebe a tradicional fita vermelha que simboliza o movimento e passa a integrá-lo.

 

Venha você também participar!

Na primeira sexta-feira de cada mês, Celebração da Santa Missa do AO às 7h e às19h. Após a Missa das 19h, acontecem as reuniões do AO.
 
Adoração ao Santíssimo Sacramento (Hora Santa) aos primeiros domingos de cada mês, às 15h.
 
Visita do Sagrado Coração aos lares e às famílias, todas as últimas quartas-feiras de cada mês. Quem desejar receber a visita deve fazer a inscrição na secretaria da paróquia, indicando o horário e o local.
 
Frei Daniel de Santa Maria de Gardena foi quem institui o Apostolado da Oração na Paróquia São João Batista, recebendo o diploma da Agregação Centro GeraL de Itir,com a assinatura do Diretor Geral do Brasil, Padre Bartolomeu Taddei. Frei Danielfoi o 1º diretor do AO. A primeira presidente do Apostolado foi Dona Anna Bresser, da tradicional família Bresser.
 
 
HISTÓRIA DO APOSTOLADO
 
 
 
O Apostolado da Oração constitui uma associação de fiéis que, pelo oferecimento diário de si mesmos unidos ao sacrifício eucarístico e pela união vital com Cristo, colaboram na salvação do mundo. Conseguem esse objetivo por meio do seguinte programa:
 

Participação vital no Mistério Eucarístico;
 
Culto ou espiritualidade do Sacratíssimo Coração de Nosso Senhor Cristo;
 
Preocupação de sentir com a Igreja;
 
Assídua oração apostólica;
 
Amor e devoção a Nossa Senhora.
 
Assim como o mês de maio é dedicado a Maria, o mês de junho é dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Esta devoção iniciou-se ao pé da cruz, no momento em que o soldado, com uma lança, perfurou o lado do Senhor, abrindo seu Coração.
 
O Apostolado da Oração teve seu início na França, em uma casa de estudos em Vals, próximo a Le Puy: entre os estudantes de teologia e filosofia crescia o anseio de realizar um apostolado diretamente nas paróquias, junto ao povo, inspirado pelo Espírito Santo. Pe. Francisco Xavier Gautrelet, jesuíta diretor espiritual do Colégio, a 3 de dezembro de 1844, realizou uma conferência aos estudantes em que explicou como podiam eficazmente satisfazer o desejo de colaborar para a salvação das pessoas. Podiam fazê-lo, sem interromper o seu trabalho principal, que era o estudo, oferecendo com fim apostólico todas as suas boas ações, suas dificuldades e alegrias, suas orações, seus sacrifícios e trabalhos.
 
No Brasil, o primeiro centro do Apostolado da Oração foi fundado 30 de junho de 1867, no Recife, na Igreja da Santa Cruz. Seu primeiro diretor foi Pe. Bento Schembri, jesuíta. Em 1º de outubro de 1871, o Pe. Bartolomeu Taddei, SJ fundou o primeiro centro do Apostolado da Oração na cidade Itu/SP, fundando, logo, outros centros em nível diocesano e nacional. Por esta razão o Pe. Bartolomeu Taddei é considerado o fundador e o propagador do Apostolado no Brasil. Nomeado Diretor Nacional, o Pe. Taddei estendeu o Apostolado a todos os estados, de tal forma que o Cardeal D. Sebastião Leme pôde afirmar que “o renascimento espiritual do Brasil é obra do Apostolado da Oração”.  
 
 
Os Compromissos do Apostolado da Oração
 
Compromissos do AO: rezar todos os dias, o oferecimento do dia pelas intenções da igreja que o Vaticano nos propõe no bilhete mensal, que recebemos da coordenadora todo inicio do mês. Rezar o terço por essas intenções, ou ao menos uma dezena, fazer a entronização da imagem do Coração de Jesus e a consagração das famílias, primeiro nas casas dos membros que já pertencem ao AO, depois nas dos que pretendem pertencer, empresas, escolas, etc. Assim vamos reavivando a nossa missão. são as coisas simples que falam alto, a informação que temos é que 52 países já tem apostolado da Oração. Mas nem em Roma, Canadá, México e Estados Unidos não se reza a Missa em honra ao Sagrado Coração de Jesus como no Brasil. O Papa João Paulo II sempre falou do carinho que ele tinha pelo AO e não se cansava de elogiar a sua atuação no Brasil. O tempo da nossa pertença ao AO não termina. Cremos que a partir do momento em que nós nos dispusemos a pertencer a ele, nosso nome já esta gravado no Coração de Jesus, e Ele nunca mais nos esquecerá, esta gravação nunca mais se apagará.
 
Nós podemos até nos esquecer dele, mas Jesus é fiel e não nos abandona jamais. Para esta pertença é preciso um tempo de preparação e de conhecimento, para que a pessoa saiba e tome consciência do que esta assumindo. Esta pertença é para sempre. No dia de nossa consagração ao Sagrado coração de Jesus, recebemos indulgências, para isso é necessária confissão, Comunhão, uma oração na intenção do Papa e  a exclusão de todo apego ao pecado.
 
A indulgência pode ser plenária ou parcial. Para recebermos esta indulgência é necessário que estejamos em estado de graça. Os membros do AO neste dia também recebem a fita, que é o sinal do sagrado coração, a cor vermelha é o sangue, a vida de doação plena que o Senhor entregou por cada um de nós, a medalha tem o Sagrado Coração de Jesus de um lado e do outro Coração de Maria é para nos lembrar que temos pai e mãe que nos abençoa, o Bentinho é o símbolo do AO e nele está gravado "Venha a Nós o Vosso Reino"; isso para lembrar a todo instante que estamos buscando esse reino por isso temos que usar a fita não como enfeite nem só para mostrar a que grupo pertencemos mas sim honrá-la como um sinal do amor de Cristo por nós e o nosso por ele.
 
O nosso dever de apóstolas é oração, trabalho com caridade, humildade e a mansidão, temos que caminhar juntos, para servir melhor temos que ter paciência com as pessoas principalmente com idosos e doentes, ser apostolas do coração de Jesus é o nosso jeito de ser igreja estar em união com o papa com nossos bispos e sacerdotes que são autoridade na igreja, devemos evitar o máximo criar conflitos e confusão na comunidade. Os membros do apostolado da oração têm dever de estar inserido nas outras pastorais e movimentos da comunidade para que com nossa oração sejamos o alicerce.
 
Todos os grupos precisam de oração para caminhar certo e assim também estaremos divulgando o sagrado coração de Jesus e espalhando o seu amor a todos e exercendo o ministério sacerdotal universal que recebemos em nosso batismo.
 
Primeiras Sextas-Feiras – A prática das Primeiras Sextas-Feiras tem sido promovida especialmente pelos membros do Apostolado da Oração. Esta prática e devoção não são um dogma de fé, mas tratando-se de amor e reparação ao Sagrado Coração de Jesus, a Igreja aceita-a e recomenda-a como sinal do nosso amor e já é uma importante tradição na Igreja católica, ligada às Doze Promessas.
 

113 anos do Apostolado da Oração na S. João Batista do Brás
 
No dia 13/12/13 o apostolado da oração da Paróquia São João Batista do Brás completa 113 anos de existência.
 
Este foi o primeiro trabalho pastoral dentro desta paróquia, e já existia mesmo antes da ereção canônica da São João Batista. O Apostolado surgiu em 1884, na França, reunindo homens que haviam feito a opção pelo sacerdócio. Aqui na São João Batista, que era ainda uma capela, lá no longínquo ano de 1902, o Apostolado se reuniu pela primeira vez. Consta do primeiro Livro de Tombo da São João Batista do Brás (na época S. João Batista do Belém), escrito a partir de 1907, o seguinte registro:
 
"Primeiro Apostolado da Oração
 
No dia primeiro de agosto de 1902, o Revmo. Frei Daniel (Frei Daniel de Santa Maria de Gardena – foto) fundou o Apostolado da Oração(…) com a assinatura do Diretor Geral no Brasil, Pe. Bartolomeu Taddei S.J. – O número de associados, como era natural, foi muito diminuto, mas aos poucos foi crescendo. Frei Daniel foi o primeiro diretor do Apostolado, tendo se retirado depois para a catequese de índios, nos sertões do Paranapanema. Veio substituí-lo o Revmo. Pe Joaquim Domingues de Oliveira Belleza, professor de História Eclesiástica no Seminário Episcopal. O Pe. Oliveira Belleza pouco se demorou como diretor local do Apostolado; no entanto, nesse pouco espaço de tempo muito se esforçou para o aumento da vida genuinamente piedosa dos associados do Coração de Jesus. Podemos dizer que foi um esforçado continuador dos trabalhos iniciados pelos bons e virtuosos franciscanos."
 
Frei Daniel, o capuchinho fundador do Apostolado
da Oração na São João Batista do Brás, em 1902
 
Passados 113 anos de muita devoção, inúmeros bons frutos daí nasceram. O Movimento Eucarístico Jovem foi uma das primeiras sementes do Apostolado da Oração. –  ** Conheça aqui um pouco mais sobre a história do Apostolado no Brasil e no mundo.