28.12.2019 – É Natal: Deus assume nosso corpo!

28.12.2019 – É Natal: Deus assume nosso corpo!

É Natal: Deus assume nosso corpo!

As Sagradas Escrituras nos relatam que assim que Deus concluiu a criação do
ser humano “viu que tudo era muito bom” (Cf. Gn. 1, 31). Daí se inicia uma
relação de ternura e carinho muito próxima entre Deus e o ser humano. Mesmo
o pecado e as iras manifestas de Deus, não permitiram que sua predileção pelo
corpo humano se desfizesse. Deus ama o corpo humano e nele decide fazer
sua morada.

E “a Palavra se fez carne” (Cf. Jo. 1, 14). É o momento ápice do envolvimento
de Deus com o humano. Depois de ter demonstrado a sua fidelidade às
promessas feitas aos antepassados de seu povo, Deus assume um corpo de
gente. Até hoje existe resistência a essa atitude de Deus.
Deus torna-se um ser humano como nós. No dizer do papa Francisco:
“o modo de Deus ser cria vertigens, pois parece impossível que Ele renuncie à
sua glória para se fazer homem como nós. Que surpresa ver Deus adotar os
nossos próprios comportamentos: dorme, mama no peito da mãe, chora e
brinca, como todas as crianças. Como sempre, Deus gera perplexidade, é
imprevisível, aparece continuamente fora dos nossos esquemas…” (Admirável
Sinal, Carta do Papa Francisco sobre o Presépio, 8).

A celebração do Natal é a celebração do nosso corpo. Há uma troca de dons
que preenchem nossos corpos e nos fazem discípulos missionários. A troca de
dons permite que Deus assuma nossos corpos humanos e nos eleve à
dignidade de divinos/as. Portanto, o que fazemos no mundo é uma resposta ao
dom recebido das alturas com a encarnação do nosso Deus.
O Natal é dom e tarefa. Recebemos a graça e devemos transformá-la em
dádiva a quem encontrarmos. É a eterna doação. Ou seja, se quisermos viver
continuamente a espiritualidade do Natal devemos nos abrir à graça da
encarnação do Verbo e nos abrirmos também às pessoas para a partilha dos
dons.

Entende o sentido do Natal quem se torna no dia a dia dom humano para as
outras pessoas. Isto significa entender a encarnação de Deus na história da
humanidade.
Então, é Natal…